25 DE NOVEMBRO – DIA INTERNACIONAL PARA A NÃO VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

No dia 25 de novembro comemoramos o “Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres”. Esta data tem o objetivo de alertar a sociedade sobre os casos de violência e maus tratos contra as mulheres. A violência contra a mulher é uma questão social e de saúde pública, não distingue cor, classe econômica ou social, está presente em todo o mundo. A violência física, psicológica e o assédio sexual e moral são alguns exemplos desses maus tratos.

A data foi criada durante o “Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e Caribenho” de 1981, realizado  em Bogotá, Colômbia. É comemorado em 25 de novembro em homenagem às irmãs Pátria, Maria Tereza e Minerva Maribal, que foram violentamente torturadas e assassinadas nesta mesma data, em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo. As irmãs eram conhecidas por ”Las Mariposas” e lutavam por soluções para os diversos problemas sociais de seu país. Em 1999, a ONU reconheceu o dia 25 de novembro como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

No Brasil, 43% das mulheres em situação de violência sofrem agressões diariamente; para 35%, a agressão é semanal (Centro de Atendimento à Mulher). Em média, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada em nosso País. (Fórum Brasileiro de Segurança Pública).

UMA HEROÍNA NA CATEGORIA RODOVIÁRIA…

Falando em defesa das mulheres, não podemos deixar de citar um fato que encheu de orgulho a categoria rodoviária do Grande ABC. Uma mulher, uma motorista, mãe de família e cidadã exemplar é que socorreu outra mulher, uma moça de 22 anos. Conheçam a história…
Michele dos Santos Vieira Sousa, motorista da Suzantur, estava no percurso de sua linha, quando uma mocinha começou a pedir ajuda, dizendo que um homem estava praticando atos libidinosos e gravando com o celular. Mesmo com apenas mais um rapaz e algumas senhoras no coletivo, Michele não pensou duas vezes: trancou as portas e partiu em direção a uma delegacia de polícia. Enfurecido, o homem que estava sendo acusado tentou fugir, chutando as portas, mas mesmo assim Michele não titubeou, ficou firme na direção e só parou quando chegou à Delegacia. Seu ato de coragem foi elogiado por todos que presenciaram o fato, além dos seus colegas de trabalho e usuários.
Como mulher, ela poderia ter se omitido ao fato, ou deixado o “tarado” escapar. Mas, como mulher ela disse que pensou 
na própria filha e em todas as filhas que constantemente são importunadas nos coletivos do nosso País. O “homem” foi acusado de “Importunação Sexual – ato libidinoso praticado contra alguém, a fim de satisfazer um desejo”, a pena vai de 1 a 5 anos de prisão. Até o fechamento desta edição, o acusado permanecia preso

Parabéns Michele, pela força, coragem, garra e graça de ser mulher na categoria rodoviária. Hoje, você é a nossa heroína!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *